6 formas de ajudar alguém com depressão

Ilutração mãos
© ALICEMOI / GETTY IMAGES

Como ajudar alguém com depressão? Essa é uma pergunta muito comum por parte de pessoas que lidam com familiares ou amigos que têm a doença. Mesmo que não passes por isso, é importante compreender que ter uma rede de apoio sólida é indispensável para lidar com uma situação tão delicada. É inegável que a atenção de profissionais da área de saúde mental é indispensável e deve ser prioridade, mas existem algumas ações que podem ser tomadas para ajudar algum ente querido que sofra com esse tipo de transtorno. 

Práticas para auxiliar alguém que está a passar por um quadro depressivo:

1. Incentiva a procura por ajuda médica

A ajuda profissional é indispensável nestes casos, e ser um incentivador dessa prática é fundamental para auxiliar alguém com o diagnóstico da depressão. Portanto, é essencial motivar a pessoa que tem a doença a ir às sessões de terapia, assim como tomar os medicamentos prescritos da forma correta. Os tratamentos psicológicos, ou psiquiátricos, não são uma ciência exata, e, dessa forma, é difícil prever em quanto tempo a pessoa irá sentir-se melhor, portanto, ter um posicionamento estimulante quando a pessoa que tem esse quadro se sente desmotivada a continuar se tratando é de extrema importância.

2. Procura manter sempre contacto

Mostrar-se presente para alguém que esteja a passar por esse momento difícil é reconfortante para quem tem a doença. Manter o contacto sempre, ou seja, estar disponível para ajudar, de qualquer forma que seja, é uma atitude que impacta positivamente a saúde mental dessas pessoas. Chamadas, visitas e convites para atividades ao ar livre são só alguns dos exemplos de atitudes que mostram disponibilidade para quem tem algum desses transtornos. Muitas vezes, as pessoas com este quadro mostram resistência a essas formas de manter contacto, mas é necessário um esforço para se ajudar um amigo ou familiar nessas situações.

3. Informa-te sobre o assunto

Procurar informações sobre depressão, ansiedade, bipolaridade e outros transtornos mentais é o primeiro passo para quem quer ajudar uma pessoa querida que tem alguma doença deste tipo. Uma infinidade de livros abordam o assunto, assim como incontáveis sites e blogs na internet, então, é crucial consumir todo o conteúdo possível sobre o tema, com a finalidade de perceber padrões, entender o que fazer, quando ajudar alguém que passa por isso, entre muitos outros conhecimentos que podem ser de grande auxílio. 

É importante procurar as informações em locais confiáveis, lendo textos de psicólogos ou psiquiatras e certificando-se sempre que a fonte tem credibilidade para falar sobre o assunto. Devemos perceber que a intenção não é substituir o terapeuta, mas sim ter entendimento suficiente para nos sabermos posicionar posicionar nestas situações. 

4. Faz terapia também

Fazer terapia não é uma exclusividade dos indivíduos que se encontram em crise, ou que estejam num quadro mais grave. Os profissionais da saúde mental são essenciais para que todos possam compreender melhor o que se passa na sua cabeça, a partir de uma perspectiva médica. Pessoas que sabem lidar com os próprios sentimentos e emoções são melhores a ajudar amigos com esses transtornos, uma vez que podem aplicar o seu autoconhecimento ao próximo. Auxiliar alguém que passa por um momento difícil pode ser uma tarefa complicada, e é importante estar bem para conseguir garantir um bom suporte a um amigo ou familiar.

5. Ouve tudo com atenção

Ser um bom ouvinte é uma das características mais importantes de alguém que procura ajudar uma pessoa próxima com algum transtorno como depressão ou ansiedade, por exemplo. Estar presente a escutar o que a pessoa doente tem a dizer é uma forma de mostrar preocupação e carinho. É preciso entender que, em alguns momentos, apenas estar ali já é suficiente, e o silêncio, ou apenas um abraço, bastam. Noutros momentos, é preciso incentivar a conversa e encorajar que se fale sobre assuntos difíceis, mostrando que estás realmente ali pela pessoa. Na posição de ouvinte, é importante ter cuidado com colocações que possam ser ofensivas para alguém que passa por este tipo de problema. É preciso ser direto, e não permitir que o indivíduo em questão se sinta sozinho, ou incompreendido.

6. Conhece e indica canais oficiais de tratamento

Existem diversos canais telefónicos de ajuda direta para atender pessoas que se encontram em crises de saúde mental. Estas iniciativas conectam a pessoa a profissionais treinados para lidar com esses transtornos, e são sem dúvida uma ótima opção para receber um atendimento imediato em momentos de urgência. Confere alguns desses números abaixo:

Telefone da Amizade (Diariamente das 16h às 23h)

Site: http://www.telefone-amizade.pt/site/

Contacto: 228 323 535

E-mail: [email protected]

SOS Voz Amiga (Diariamente das 16h às 24h)

Site: http://www.sosvozamiga.org/

Contacto: 213 544 545 / 912 802 669 / 963 524 660

E-mail: [email protected]

Voz de Apoio (Diariamente 24h horas)

Site: http://www.vozdeapoio.pt/

Contacto: 225 50 60 70

E-mail: [email protected]

No Portal da Depressão, temos uma lista com mais alguns canais de ajuda, que podes ver aqui. Além dissso, no nosso site, encontras informações para saber mais sobre a doença, como lidar com ela caso tenhas o diagnóstico, e também as melhores formas de auxiliar corretamente uma pessoa querida que esteja a passar por isso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.